Día de los Muertos! A maior comemoração do México

O México fica em festa entre os dias 31 de outubro e 2 de novembro, para comemorar o Día de los Muertos (Dia dos Mortos). 

As ruas, casas, praças e principalmente os cemitérios ficam repletos de adultos e crianças que dançam, bebem, comem e fantasiam-se de morte – como a famosa Catrina – erguem altares com retratos de seus mortos, cercados com velas, flores e caveiras

A tradição de Día de los Muertos é muito antiga e sua origem é indígena, com pelo menos 3 mil anos de história. 

Para comemorar este dia, o costume é ir ao cemitério visitar os túmulos dos entes queridos, além de preparar altares com alimentos, velas, flores e outros elementos, pois acreditam que somente neste dia as almas podem voltar do além para estar perto de seus entes queridos. 

A tradicional comemoração também é celebrada em outros países da América Central, além do México, e, em algumas regiões dos Estados Unidos, onde a população mexicana é grande. 

Os rituais que celebram a vida dos ancestrais eram realizados pelas civilizações astecas, maias, purépechas, náuatles e totanacas, pelo menos há três mil anos, bem antes da chegada dos espanhóis ao México. Na era pré-hispânica era comum a prática de conservar os crânios como troféus, e mostrá-los durante os rituais que celebravam a morte e o renascimento.

No início das tradições, a festividade era realizada durante o mês de agosto. Com a chegada dos colonizadores espanhóis, os mesmos, ficaram chocados com os rituais pagãos dos índios e assim alteraram a data comemorativa para o fim de outubro e início de novembro, para ficar mais próximo do Dia de Todos os Santos e Dia de Finados.

Segundo a crença popular, nos dias que acontecem a celebração do Día de los Muertos, os mortos têm permissão divina para visitar seus entes queridos. 

No dia 1 de novembro são as almas das crianças, e, no dia 2 a dos adultos. Para receber os falecidos, os parentes e amigos enfeitam suas casas com flores, velas e incensos. Preparam as comidas e bebidas favoritas dos mortos e vestem roupas com esqueletos pintados ou se fantasiam de mortos. 

Alguns elementos são típicos da comemoração de Día de los Muertos, como;

  • Esqueletos: podem ser fantasias ou bonecos de tamanho real, é possível encontrá-los por todo lado, na rua ou nas casas, para recepcionar os mortos que perambulam pela cidade visitando seus entes queridos. Alguns esqueletos são identificados com objetos como, bolsa, bola, chapéu entre outros
  • La Catrina: é o esqueleto de uma dama da alta sociedade do início do século XX, retratado pelo artista mexicano José Guadalupe Posada (1852 – 1913) que pintou o quadro La Calavera de la Catrina (A caveira de Catrina). O desenho foi uma série de caveiras humorísticas criadas para lembrar das diferenças sociais que nada significam diante da morte. O nome La Catrina foi popularizado e incorporado à festa como uma espécie de Dama da Morte ou uma Michtecacihuati contemporânea
  • Altares e oferendas: para os parentes que ficam impossibilitados de visitar o túmulo, seja pela distância ou por não existir um túmulo, são montados altares em suas próprias casas. Nestes altares os familiares colocam fotos dos mortos e representações dos quatro elementos; água, frutas (terra), vela (fogo), incensos e papéis recortados (ar). E ainda completam o altar com objetos favoritos do falecido, se for criança, brinquedos, comidas, sal, flores, cobertores ou ponchos. Por fim uma cruz, junto à foto do morto, feita de sal, cinza ou terra para lembrar, “Lembra-te que é pó e ao pó voltarás”
  • Flores: Os mexicanos usam flores específicas como; crista de galo, cravo, crisântemos amarelos e cempasúchil (conhecida como cravo-de-defunto). São usados em abundância para decorar os altares e túmulos. O significado das flores é beleza e a transição da vida. 

A cempasúchil é a flor mais emblemática desta data, sua cor amarela representa o sol, que segundo a tradição asteca, guia as almas dos defuntos até a última morada. 

As pétalas costumam ser usadas para formar um caminho até o altar dos mortos, com o intuito de ajudar as almas dos entes queridos a encontrá-la. 

  • Portal dos mortos: É um arco de flores que simboliza a entrada que os espíritos vão passar para visitar os vivos. São feitos com as flores específicas mencionadas acima. 
  • Pan de Muertos (pão dos mortos): É um pão simples e tradicional, porém é reservado exclusivamente para a festa do dia dos Mortos, é oferecido como alimento e consagração e por isso não é consumido durante o ano. 
  • Calaveras dulces (caveiras doces): São doces feitos de açúcar, água quente e limão em formato de caveira com o nome do morto e confeitados em diversas cores vivas e levam o nome do morto na testa.

 

Algumas curiosidades sobre o dia dos mortos no México

A Unesco declarou em 2003 o Día de los Muertos como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

A festa costuma começar por volta do dia 26 de outubro e ir até o dia 3 de novembro, durando em média 7 dias.  

A data é mais tradicional nas cidades de Aguas Calientes, Cidade do México, Morelos, Oaxca e Quintana Roo, porém é comemorada em todos o país. 

 

Gostou deste artigo? Deixe seu comentário. 

Veja também

Fique por dentro das nossas notícias

FOODS AROUND THE WORLD – UMA VIAGEM PELA GASTRONOMIA | EPISÓDIO #6: ORIENTE MÉDI...

Em nosso projeto Foods Around The World, já viajamos por cinco países...

THREE TEACHERS AND STONEHENGE MYSTERY...

  THREE TEACHERS AND STONEHENGE MYSTERY By Nelson Senra, one of the...

Natal ao Redor do Mundo!...

O natal está chegando e se tem um tema que podemos discorrer...

Olá! Clique aqui e fale com um de nossos representantes via WhatsApp

Atendimento via WhatsApp